quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Windows vCenter Server ou VCSA? Qual deles utilizar??

                 

Uma das principais questões feitas por aqueles que estão iniciando um projeto de virtualização utilizando VMware vSphere ou atualizando para uma nova versão está relacionada com qual versão do vCenter Server deve ser utilizada.

Até o lançamento da versão vSphere 5.0 essa questão simplesmente não existia pois a única forma de utilizar o Virtual Center Server era instalando-o em uma máquina Windows. A partir de então, com o lançamento do VCSA (vCenter Server Appliance), os arquitetos/administradores passaram a ter uma segunda opção, obrigando-os a considerar quais as vantagens e desvantagens de cada uma das opções para escolher aquela que melhor se encaixa em determinado projeto.

Se você reparar bem no parágrafo anterior, vai perceber que a resposta para a pergunta em questão é a mesma de muitas outras quando o assunto tem a ver com o planejamento e a escolha de uma determinada configuração: “Depende!”.

Depende, porque cada caso é um caso! E é exatamente esse o trabalho de um arquiteto quando está desenvolvendo determinado projeto. É preciso avaliar a necessidade daquele ambiente e com base nas características que cada uma das opções oferece, optar por aquela que melhor atende aos requisitos estabelecidos anteriormente.

Abaixo vou levantar algumas perguntas que podem ser feitas para ajudar a defeinir qual das opções utilizar:

- O vCenter Server será físico ou virtual??
Dependendo da resposta aqui fica fácil de saber se devemos utilizar a versão para Windows ou o VCSA. Caso tenha optado por utilizar o vCenter Server em uma máquina física, então a única opção que você tem é a de instalar a versão para Windows. Até o momento não existe uma versão do Virtual Center que possa ser instalada em um servidor Linux. Se você optou por utilizar o vCenter em uma máquina virtual, o seu “dilema” continua...

- Quais as funcionalidades não estão disponíveis no VCSA??
Desde o seu primeiro lançamento (na versão vSphere 5.0) o appliance virtual já evoluiu bastante e oferece suporte a maioria das soluções que se integram com o vCenter Server, como por exemplo o vCloud Director, vCenter Operations, VMware SRM, Update Manager e etc. Mas ainda assim existem algumas coisas que ainda não funcionam com o VCSA, são elas: Linked Mode, vCenter Server Heartbeat, IPv6 e o suporte ao MS SQL como banco de dados. Portanto se você precisar de alguma dessas opções, terá de utilizar a versão para Windows.

- Qual o tamanho do ambiente a ser suportado??
O banco de dados que vem junto com o VCSA (vPostgres) é capaz de suportar até 100 hosts e 3000 VM’s. Se o seu ambiente é maior do que isso, você ainda tem a opção de conectar o VCSA a um banco de dados externo, porém o único suportado até o momento é o Oracle. Portanto se você possui um ambiente maior que 100 hosts e/ou 3000 VM’s e não possui a opção de utilizar um banco de dados Oracle, também terá de optar pela versão Windows.

- Conhecimento e suporte a um sistema operacional Linux (SUSE)?
Não são todos os ambientes que possuem um profissional com bons conhecimentos em Linux. Apesar de não ser algo rotineiro ter de acessar a console do VCSA para executar comandos na linha de comando do appliance, na hora de fazer um troubleshoot esse conhecimento pode ser importante. Além disso é importante levar em consideração alguns aspectos operacionais do ambiente que podem ser impactados com a utilização do appliance, como por exemplo a política de atualização do sistema operacional, a instalação de agentes de terceiros ou então os requisitos de backup do banco de dados.

- Limitação de licenciamento Windows?
Um dos fatores que podem contribuir para a utilização do VCSA é o fato de não exigir uma licença para o Windows como a versão instalável. Então se você não possui uma licença Windows ou então se as questões levantadas até aqui não impedem você de utilizar o VCSA, vá em frente com o appliance.

É importante lembrar que apesar de o Update Manager ser suportado pelo VCSA, o mesmo não pode ser instalado no appliance virtual e continua dependendo de uma máquina Windows. Assim como o VMware View Composer, que antigamente era obrigado a ser instalado na mesma máquina que o vCenter Server, mas que agora pode ser instalado em uma máquina separada, porém com Windows.

 - A complexidade da instalação da versão Windows é um problema??
Em ambientes e organizações menores, a facilidade com que o VCSA é configurado pode ser considerado um diferencial na hora de escolher entre uma das versões, principalmente por conta da dificuldade técnica que a instalação da versão Windows pode apresentar para essas organizações.

Bem, como você reparou são vários os fatores que devem ser levados em conta ao decidir entre uma versão ou outra. O vCenter Server Appliance é uma solução extremamente robusta e pode sim ser utilizada em grandes ambientes, desde que todos o requisitos e necessidades sejam atendidas.

domingo, 3 de agosto de 2014

Como verificar o status do VMware VAAI

                 

Há algum tempo atrás eu fiz um post explicando sobre o que é o VMware VAAI, recomendo que aqueles que ainda não leram ou que ainda não tem certeza de como esta funcionalidade trabalha que dêem uma passada por lá antes de prosseguirem. 

Neste post vou mostrar como podemos verificar no nosso ambiente se essa tecnologia vêm sendo utilizada, uma vez que a funcionalidade já vem habilitada por padrão nos servidores ESXi.

Existem várias formas de verificarmos se os nossos datastores estão fazendo uso do VMware VAAI ou não. Veja a seguir algumas dessas possibilidades:

VMware vSphere Client:

Selecione um host, clique na aba Configuration >> Storage e verifique a aba Hardware Acceleration:


VMware vSphere Web Client:

Para verificar o status do VAAI (Hardware Acceleration) no Web Client é um pouco diferente. Na sua tela inicial (HOME) clique em Storage. Em seguida selecione o datastore desejado, clique na aba Manage >> Settings >> General:


Pela inteface gráfica são três os tipos de status que podem ser exibidos:

Not Supported: Quando o dispositivo não consegue realizar operações VAAI.
Unknown: Quando o dispositivo consegue realizar só algumas das operações VAAI.
Supported: Quando o dispositivo é capaz de realizar todas as operações VAAI.

Pela linha de comando é possível ver com mais detalhes quais as operações que são suportadas em dispositivos do tipo bloco (iSCSI ou FC) através do comando:

esxcli storage core device vaai status get

É possível utilizar a opção –d para exibir apenas o dispositivo desejado.

Repare que na saída do comando é exibido detalhadamente qual o status de cada uma das operações VAAI. 

Nos casos dos dispositivos NAS (NFS) podemos utilizar o comando abaixo, mas o resultado é semelhante ao que é exibido pela interface gráfica:

esxcli storage nfs list


Por padrão as operações do VAAI já vem habilitadas e não há a necessidade de nenhuma intervenção do administrador para o seu funcionamento, com excessão da operação de UNMAP (Dead Space Raclamation), que desde a versão ESXi 5.0 Patch 02 (Build Number 515841) vem desabilitada por padrão, e exige que o administrador execute um comando na CLI para que determinado espaço seja recuperado. Caso seja necessário, todas as demais operações podem ser desabilitadas no ESXi. 

Essas alterações podem ser feitas tanto pela CLI como pela GUI, e são dinâmicas, portanto não é necessário colocar o host ESXi em modo de manutenção e nem reiniciá-lo após as alterações.

As operações Full Block (XCOPY) e Block Zero (Write Same) podem ser desabilitadas alterando-se as seguintes opções avançadas no ESXi:

Full Block: DataMover.HardwareAcceleratedInit
Block Zero: DataMover.HardwareAcceleratedMove



A operação Hardware Assisted Locking (ATS) pode ser desabilitada alterando-se a seguinte opção avançada no ESXi:

ATS: VMFS3.HardwareAcceleratedLocking



quinta-feira, 24 de julho de 2014

EMC Virtual Storage Integrator 6.2 para VMware vSphere Web Client

                 

Aqueles que utilizam VMware juntamente com algum storage EMC não podem deixar de conferir o plugin EMC VSI (Virtual Storage Integrator). Atualmente na versão 6.2 (lançada no dia 10/07/2014), o plugin permite que o administrador VMware provisione novos datastores diretamente na interface do VMware VSphere Web Client. Ou seja, com o plugin não é mais necessário que o administrador primeiro crie a LUN/VOLUME no storage, apresente para os hosts ESXi, para só então criar o datastore. Com a utilização do plugin todas essas etapas são feitas de forma automática através da integração do Virtual Center com o seu storage EMC. Além dessa o plugin oferece diversas outras funcionalidades.

Desde a versão 6.0 o VSI passou a suportar o VMware VSphere Web Client, mas apenas em ambientes que possuíam o ViPR, e com os lançamentos seguintes (6.1 e 6.2) passou a suportar algumas outras plataformas: VNX, VMAX e XtremIO.

Aqueles que possuem outras plataformas de armazenamento, como por exemplo VNXe, VPLEX, CLARiiON e Celerra, podem utilizar a versão “clássica” do VSI (a última versão é a 5.6.3).

Existem algumas diferenças entre a versão “clássica” do plugin e a versão para o VMware VSphere Web Client, entre elas é que a versão clássica deve ser instalada em uma máquina Windows que possua o vSphere Client instalado. Cada uma das funcionalidades (Storage Viewer, Unified Storage Management, Path Management) consiste de um instalador diferente que deve ser instalado. Além disso o plugin só estará disponível a partir desta máquina.

Já o VSI for VMware VSphere Web Client consiste de uma VM disponibilizada no formato OVA, que após a configuração é registrada diretamente no Virtual Center como um plugin e fica disponível para acesso a partir do Web Client para qualquer usuário que possua permissão para acessa-lo. Esta opção simplifica a administração e também se alinha com a visão da VMware de centralizar o gerenciamento do ambiente a partir do Web Client (como já foi divulgado, o VSphere Client deve ser descontinuado nos próximos lançamentos).

Abaixo você confere um passo a passo das configurações necessárias para registrar o plugin no Virtual Center.

** Não vou entrar em detalhes sobre o deploy da VM.

1. Após realizado o deploy, o primeiro  passo é acessar a seguinte URL: "https://endereco_ip_vapp:8443/vsi_usm/admin". Será solicitado que você faça a alteração da senha do usuário admin.


2.    Após logar no sistema, será exibida a tela abaixo com algumas informações sobre a versão do sistema. Clique na opção “VSI Setup”, conforme exibido abaixo:


3.    Nesta tela você deverá preencher com as informações referentes ao Virtual Center no qual você deseja que o plugin esteja disponível (não necessariamente no mesmo Virtual Center no qual a VM foi instalada).

**O usuário utilizado para esta conexão deve possuir permissões de administrador no Virtual Center.

4.    Confirme que registro foi bem sucedido:


5.    O próximo passo é acessar o vSphere Web Client e verificar se o plugin EMC VSI está disponível, conforme mostrado abaixo:



6.    Em seguida devemos registrar o SIS (Solutions Integration Service) no novo plugin. Para isso, clique em Solutions Integration Service. No menu Actions, clique na opção Register Solutions Integration Service:


7.    Na caixa de diálogo que aparecerá, você deverá preencher com as informações do seu servidor SIS. É importante observar que alguns campos estarão desabilitados para preenchimento, entre eles:

EMC Solutions Integration Service User Name: este campo estará preenchido com o usuário com o qual você está logado no vSphere Web Client. A senha a ser digitada não precisa ser a senha deste usuário, pois será criada uma conta local no SIS com o mesmo nome e a senha que você digitar.

vCenter IP: Endereço IP do seu Virtual Center.

vCenter User Name: Nome de usuário utilizado para logar no Virtual Center.


8.    Em seguida você deverá registrar o seu Storage. Para isso clique em Storage Systems. No meu Actions, clique em Register Storage System:


 9.    Será aberta uma caixa de diálogo na qual deverão ser preenchidas as informações sobre o seu Storage. Na versão 6.2 do plugin você tem a opção de registrar os seguintes tipos de sistema de armazenamento: ViPR, VNX, VMAX e XtremeIO.


10.    Ao voltar na área Storage Systems serão exibidas as informações sobre seu storage:


A partir desse momento você já consegue provisionar novos datastores a partir do seu VMware vSphere Web Client, basta selecionar um dos seus hosts ESXi e clicar no menu Actions. Você verá um menu como o mostrado abaixo:


Nessa versão também é possível disponibilizar um novo disco RDM para uma determinada VM, basta clicar com o botão direito sobre a máquina virtual na qual deseja adicionar o novo disco e selecionar a opção New EMC RDM Disk...


VSI 6.2 Release Notes:

Virtual Storage Integrator - Matriz de Compatilidade 

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Conheça o VMware Hands-On Lab

                 

Já pensou em poder testar a maioria das soluções da VMware em um ambiente de LAB mesmo que você não possua uma máquina “parruda” que suporte algumas VM's ou não tenha acesso a essas soluções no seu local de trabalho?!?

Foi pensando nisso que a VMware lançou (no final do ano de 2012) o VMware Hands-On Lab.

Se trata de uma plataforma de educação online e gratuita, parte do projeto VMware Project Nee (Next-Generation Education).

Qualquer um pode se registrar e a partir daí iniciar os laboratórios. Todos os laboratórios incluem um Manual com um passo-a-passo que você pode ir acompanhando. São dezenas de labs que você pode escolher, das mais diversas soluções da VMware.

Veja abaixo alguns dos labs com foco na parte de Storage:

VMware Hands-On Lab

 No link a seguir tem um passo-a-passo de como se registrar e iniciar um laboratório no site:

http://blogs.vmware.com/hol/2013/12/how-do-i-register-for-vmware-hands-on-labs-link-to-vmware-hands-on-labs.html

Veja mais no vídeo abaixo: