terça-feira, 24 de março de 2015

Considerações importantes antes de instalar VMware vCenter Server 6.0

                 

O VMware vSphere 6.0 trouxe algumas mudanças relevantes na sua arquitetura, principalmente no vCenter Server, com a introdução da Platform Services Controller e a junção da maioria dos serviços necessários em uma única instalação (sem a opção de separação desses serviços).

Aqueles que já tiveram a oportunidade de executar uma instalação/atualização de ambiente VMware em versões anteriores (5.x), devem se lembrar que existia uma ordem correta na instalação dos componentes do vCenter Server. 

Basicamente você tinha a opção de executar uma instalação simplificada (Simple Install), na qual todos os componentes (vCenter Inventory Service, vCenter Single Sign-On, vCenter Server e vSphere Web Client) eram instalados automaticamente, na ordem necessária e na mesma máquina. E além dessa opção, também era possível instalar cada um desses componentes separadamente, na mesma máquina ou em máquinas diferentes.

No vCenter Server 6.0, essa “estrutura” mudou, e os serviços foram divididos da seguinte maneira:

VMware Platform Services Controller

- Single Sign-On
- vSphere License  Service
- VMware Certificate Authority

vCenter Server

- vCenter Inventory Service
- PostgreSQL
- vSphere Web Client
- vSphere ESXi Dump Collector
- vSphere Syslog Collector (no caso do vCenter Server p/ Windows)
- vSphere Syslog Service (no caso do vCSA)
- vSphere Auto Deploy

Todos estes serviços são instalados em conjunto, ou seja, ao instalar o VMware Platform Services Controller, você na verdade está instalando todos os serviços listados anteriormente, assim como no caso do vCenter Server, ao fazer a instalação ou o deploy do vCenter Server Appliance, todos os serviços listados também são automaticamente instalados. Não existe a possibilidade de instalar nenhum desses serviços separadamente, por exemplo: não tem como instalar o vCenter Inventory Server em uma máquina e o vCenter Server em outra máquina, como era possível até o vCenter Server 5.5.

De certa forma essa nova configuração simplificou bastante todo o processo de instalação do vCenter Server. O planejamento que deve ser feito a partir de agora é com relação à Platform Services Controller e o vCenter Server.

Existem duas opções para a instalação do vCenter Server e do VMware PSC:

vCenter Server with an embedded Platform Services Controller: nesta opção o vCenter Server, os componentes do vCenter Server e todos os serviços que compõem a PSC são instalados na mesma máquina.

vCenter Server with an external Platform Services Controller: nesta opção o vCenter Server e os seus componentes são instalados em uma máquina e os serviços que compões a PSC são instalados em uma outra máquina.

Essa escolha deve ser feita com bastante cuidado pois uma vez definida a configuração, para alterá-la após a instalação é bastante complicado.

Existem diversas variações dessa arquitetura, como por exemplo a utilização de uma única PSC para mais de um vCenter Server ou então a utilização de mais de uma PSC. Aqueles que tiverem interesse recomendo a leitura do artigo “vSphere Datacenter Design – vCenter Architecture Changes in vSphere 6.0 – Part 1”, no qual o autor mostra várias opções de configuração e diz quais são recomendadas  e quais não são.

Aqueles que estão pensando em atualizar o ambiente de uma versão anterior para o vCenter Server 6.0 devem ter ainda mais precaução. Em primeiro lugar é necessário que o seu ambiente já esteja no mínimo em alguma versão do vCenter Server 5.x. Não é possível atualizar diretamente um vCenter Server 4.x ou anterior. Nestes casos será necessário atualizar para uma versão vCenter Server 5.x para então atualizar para o vCenter Server 6.0.

Uma outra questão importante a ser observada, é que dependendo de como foi feita a sua instalação do vCenter Server 5.1 e 5.5, pode acontecer da atualização para o vCenter Server 6.0 resultar em uma topologia (PSC e vCenter Server) não recomendada.

Para maiores detalhes vejam o KB “List of recommended topologies for vSphere 6.0.x (2108548)

Outra consideração importante é sobre o banco de dados, caso sua instalação atual do vCenter Server 5.x tenha sido feita utilizando o SQL Express (que até então era instalado junto com o vCenter Server, caso não fosse especificado um outro banco de dados), a atualização para o vCenter Server 6.0 efetuará automaticamente uma migração desse banco de dados para um banco Postgres. Esse banco Postgres que vem embutido no vCenter Server suporta até 20 hosts ESXi e 200 VMs, na versão Windows. No vCenter Server Appliance o Postgres pode ser usado para ambientes com até 1.000 hosts ESXi e 10.000 VMs.

Para finalizar, recomendo a leitura do KB “Important information before upgrading to vSphere 6.0 (2110293)”, que contêm diversas considerações relevantes para os que pretendem atualizar o ambiente para o vCenter Server 6.0.

quinta-feira, 12 de março de 2015

VMware vSphere 6.0 oficialmente disponibilizado para download!

                 

Pouco mais de um mês após o anúncio oficial, e quase 2 anos após a disponibilização do vSphere 5.5, a VMware lançou oficialmente para download a nova versão da sua plataforma de virtualização, o VMware vSphere 6.0, além de outras soluções, como por exemplo o VSAN 6.0, o SRM 6.0 e os produtos que compõem a suíte vCloud.

Para saber mais sobre algumas das novidades do vSphere 6.0, veja o post “Novidades do VMware vSphere 6.0!!” que fiz na época do anúncio.

Os que tiverem interessem podem fazer o download dos arquivos clicando nos links abaixo (é necessário estar logado no MyVMware. Os que não possuem licença podem se registrar para a avaliação por 60 dias, clicando na opção “Download Trial”):


Abaixo toda a documentação que foi disponibilizada junto com o lançamento.

New Features and Release Notes


Configuration Limits


ESXi and vCenter Server Product Documentation


Supplementary Documentation


Pacote .zip com toda a documentação reunida:


segunda-feira, 2 de março de 2015

EMC + VMware EVO:RAIL = VSPEX Blue

                 


Sem dúvidas o mercado de TI está em constante mudança e evolução, vira e mexe uma nova tendência surge e começa a transformar as coisas. Falando mais especificamente da área de infraestrutura, o surgimento de algumas tecnologias mudou radicalmente a forma de “construírmos” um datacenter, como por exemplo as redes de armazenamento, também conhecidas como SAN (Storage Area Network) e a Virtualização. A última tendência que parece estar indo por esse mesmo caminho, é o que chamamos de infraestrutura hiperconvergente. 

Na VMworld 2014, a VMware anunciou um novo produto chamado EVO (EVO:Rail e EVO:Rack), o qual seria distribuído por meio de contratos OEM com outros fabricantes. Na ocasião foram apresentados alguns desses fabricantes, e entre eles estava a EMC. 

Se você não sabe exatamente do que se trata o VMware EVO:Rail, veja o post “VMworld 2014 - EVO:RAIL: appliance para infraestrutura hiperconvergente”.

Esse modelo adotado pela VMware para distribuir o EVO:Rail, além de aumentar o leque de possibilidades para o seu usuário final, obrigou os fabricantes a se esforçarem para oferecer algum tipo de diferencial na sua oferta, seja incluindo no pacote um software de backup, uma solução de armazenamento externo integrada ou até mesmo uma oferta diferenciada de serviço/suporte.

No início de Fevereiro/2015 (durante o VMware PEX) a EMC finalmente mostrou o que estava preparando e surpreendeu muita gente com o seu novo produto, o VSPEX Blue. O VSPEX Blue é o appliance de infraestrutura hiperconvergente da EMC, baseado no VMware EVO:Rail.

Por padrão, todo appliance ofertado com o EVO:Rail (independente do fabricante) deve seguir uma especificação de hardware definida pela VMware, portanto nesse sentido o VSPEX Blue não fugiu muito a regra e será ofertado com as seguintes especificações:


Processor Per Node
•Intel Ivy Bridge (Up to 130W)
•Dual Processor

Memory | Processor Per Node
•4 Channels of Native DDR3(1333)
•Up to 8 DDR3 ECC R-DIMMS per server node

Disk
•Integrated 4-Port SAT/SAS controller (SW RAID)
•Up to 16 (4 per node) 2.5” HDD

I/O’s Per Node
•Dual GbE ports onboard
•Optional IB QDR/FDR or 10GbE integrated
•1x 8 PCIe Gen3 I/O Mezz Option (Quad GbE or Dual 10GbE)
•1 x 16 PCIe Gen3HBA slots
•Integrated BMC with RMM4 support

Chassis
•2U chassis supporting 4 hot swap nodes w/half-width MBs.
•2 x 1200W (80+ & CS Platinum) redundant hot-swap PS
•Dedicated cooling / node (no SPoF) –3 x 40mm dual rotor fans
•Front Panel w/separate power control per node
•17.24” x 30.35” x 3.46”

O appliance será oferecido com 2 configurações distintas: a configuração “Standard” que virá com 128GB de RAM em cada um dos nós, e a configuração “Performance” que terá 192GB de RAM em cada nó.

Por enquanto só será possível escalar até 4 appliances VSPEX Blue (16 nós) em um único cluster.


O grande diferencial do VSPEX Blue em relação aos seus concorrentes e a razão por seu lançamento ter sido tão comentado foi justamente a quantidade de ofertas de software e a forma como estes foram integrados na engine do EVO:Rail.

Além dos softwares que já estão inclusos em qualquer oferta do EVO:Rail:

- VMware vSphere Enterprise Plus;
- VMware vCenter Server;
- VMware vCenter Log Insight;
- VMware Virtual SAN;
- VMware EVO:Rail Engine

Também estará incluso no VSPEX Blue:

- VSPEX Blue Manager
Interface de gerência totalmente integrada com a interface do EVO:Rail. Oferece ao usuário a possibilidade de verificar o status dos componentes físicos do appliance. Acesso imediato aos recursos de suporte como a  Knowlodge Base da EMC ou chat, por exemplo. Facilita no gerenciamento do applicance automatizando a verificação de atualizações de patches e softwares. Acesso ao VSPEX Blue Market.

- VSPEX Blue Market
A Blue Market foi uma grande sacada da EMC para facilitar a aquisição de soluções que podem ser utilizadas em conjunto com o VSPEX Blue. Funciona como uma loja de aplicativos (tipo um Apple Store ou Google Play) e com o passar do tempo é provável que mais softwares sejam disponibilizados 

- EMC Secure Remote Support (ESRS)
O ESRS é o sistema utilizado pela EMC para monitorar remotamente todos os seus equipamentos. Com o ESRS, qualquer falha crítica é automaticamente enviada para a EMC, e se for o caso, um chamado também pode ser aberto. Além disso, o ESRS permite que o suporte da EMC conecte-se remotamente nos equipamentos (com a autorização do cliente) e tome as ações necessárias para resolver algum problema ou verificar pró-ativamente como o ambiente está.

- EMC RecoverPoint for VMs
O RecoverPoint for VMs é o software da EMC que permite a proteção contínua a nível de VM (para retornar a VM para qualquer ponto no tempo) e a replicação das suas VMs para outras localidades. No caso do VSPEX Blue, o RecoverPoint está licenciado para 15 VMs por appliance (4 nós).

- VMware Data Protection Advanced
Solução de backup em disco da VMware que é baseada na tecnologia EMC Avamar. É possível conseguir altas taxas de desduplicação com o VDP. E é possível salvar os dados no próprio appliance ou mandá-los para um appliance Data Domain externo.

- EMC CloudArray
O EMC CloudArray é um software da EMC (proveniente da aquisição da TwinStrata) que permite apresentar para as suas aplicações (por meio dos protocolos iSCSI ou NFS/CIFS) uma área de armazenamento de objetos fornecida por provedores de nuvem pública (AWS S3, vCloud Air, +20 outros provedores). O CloudArray ainda é capaz de armazenar em cache esse conteúdo. Com o VSPEX Blue será disponibilizada uma licença para 10TB de armazenamento e 1TB de cache.

Abaixo o vídeo de lançamento do VSPEX Blue...


A TI tão simples, que até um adulto pode fazer ;)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Prazo para recertificação VCP!

                 

Em 2014 a VMware anunciou uma nova política de recertificação para os profissionais que possuem a certificação VCP. Aqueles mais atentos devem ter observado que na página “myTranscript” no site VMware Education, desde então exibe (para as certificações VCP), uma linha chamada “Valid through”, informando até quando aquela certificação é válida. 

Essa política de recertificação, válida desde 10 de março de 2014, funciona da seguinte maneira:

- Certificações conquistadas antes de 10 de março de 2013, devem ser recertificadas até 10 de março de 2015;
- Certificações conquistadas depois de 10 de março de 2013, devem ser recertificadas em até dois anos após a data do último exame VCP realizado;

Portanto, se você tirou a sua certificação VCP antes de 10 de março de 2013, deve atentar para as opções abaixo para renovar a sua certificação. Caso contrário (se deixar a sua certificação expirar) terá de fazer novamente o curso oficial para poder realizar um novo exame.

1. Fazer o exame mais atual existente na sua trilha de certificação VCP, por exemplo: Se você for um VCP4, pode fazer o exame VCP5-DCV;
2. Tirar uma nova certificação VCP em uma outra trilha de certificações, por exemplo: Se você possui a certificação VCP5-DCV (adquirida antes de 10/03/2013) pode fazer o exame VCP6-DT;
3. Tirar uma certificação de nível avançado VMware Certified Advanced Professional (VCAP), por exemplo: Se você possui a certificação VCP5-DCV pode fazer o exame VCAP5-DCA.
4. E por último, uma opção para aqueles que já possuem a VCP5-DCV (adquirida antes de 10/03/2013), é a realização do exame VCP5-DCV Delta, que estará disponível somente até o dia 10/03/2015. Para os profissionais que já possuem a VCP5-DCV essa é a opção mais rápida (e acredito que também seja a mais fácil) para renovarem o título de VCP. Dentre as vantagens deste exame estão:
  1. O exame pode ser feito online, ou seja, você pode fazê-lo de qualquer lugar, inclusive de casa;
  2. Muito mais barato do que os outros exames;
  3. Existe um curso de 1hr disponibilizado gratuitamente que pode ser feito antes de realizar o exame;
Enfim, se você se encontra nessa situação, você ainda tem 15 dias para decidir entre uma dessas opções, e na minha opinião, vale a pena arriscar escolher qualquer um dos caminhos (de preferência aquele o qual já estava se preparando), para não ter que refazer o curso oficial.