terça-feira, 25 de outubro de 2016

O que há de novo no vSphere 6.5? – VMFS-6 / Core Storage

                 

Na semana passada, a VMware anunciou oficialmente a nova versão da sua plataforma de virtualização, o vSphere 6.5. O anúncio ocorreu na abertura da edição européia da VMworld 2016, que aconteceu em Barcelona entre os dias 17/10/16 e 20/10/16 , e trouxe muitas novidades.

Nesse post vou falar sobre as novidades do vSphere 6.5 com relação ao novo sistema de arquivos VMFS-6 e também sobre algumas mudanças que dizem respeito à parte de armazenamento.

- VMFS-6

O fato da VMware ter incluído uma nova versão do seu sistema de arquivos, o VMFS-6, mostra que mesmo que o direcionamento esteja voltado para novas formas de armazenamento como vSAN e vVOLS, ainda assim novas funcionalidades e melhorias estão sendo implementadas no seu sistema de arquivos mais “tradicional”, visando atender a todos os usuários.

Sobre as melhorias que vieram junto com o VMFS-6, a maioria delas é interna, no entanto apesar de não vê-las o usuário com certeza irá percebê-las, uma vez que o foco destas melhorias esteve voltado para melhorar o desempenho como um todo, como na criação mais rápida de arquivos, na descoberta de novos dispositivos e também no rescan.

Uma outra novidade, e essa mais voltada para o futuro, é o alinhamento em 4K. Essa mudança permitirá que o VMFS-6 suporte os novos discos 4K assim que estes passarem a ser suportados pelo ESXi. Para aqueles que tiverem interesse em saber mais sobre esse formato de discos 4K (chamado de formato avançado), este artigo da Seagate é bastante interessante e completo sobre o assunto.
Outra melhoria que merece atenção é a melhor forma com que o VMFS-6 irá tratar os casos de ATS Miscompare. Se você não enfrentou nenhum problema desses, sorte a sua, mas foram vários os casos de Storage Arrays que tiverem problemas com o hearbeat do ATS (KB2113956). No VMFS-6 foi adicionado um novo mecanismo de “retry” que tentará evitar que os timeouts no heartbeat ATS ocorram e gerem os problemas já conhecidos.

Por último, é importante saber que não haverá um caminho para fazer upgrade de um VMFS-3 ou VMFS-5 para o VMFS-6, devido às diversas mudanças que tiveram. A atualização para o VMFS-6 deverá ser feita através de migrações, como por exemplo utilizando o Storage vMotion. Na minha opinião, sempre que possível esse é mesmo o melhor caminho, mesmo no caso do VMFS-3 para o VMFS-5, em que era possível o upgrade, formatar o disco com VMFS-5 e migrar era a minha primeira opção. Somente em casos em que não havia espaço necessário para a migração é que optava pelo upgrade. Portanto acredito que essa “limitação” no VMFS-6 não será um grande problema.

- UNMAP

O UNMAP é uma técnica utilizada para recuperar um espaço que não está mais sendo utilizado no datastore e devolvê-lo para o storage. O unmap é na verdade uma funcionalidade do VAAI e já estava presente no vSphere desde versões anteriores. A diferença é que agora a recuperação desse espaço pode ser automática e configurada pela própria interface gráfica. Antes o unmap/reclaim deveria ser feita pela linha de comando e manualmente.

- Novos limites

Talvez a novidade que vá alegrar mais alguns dos usuários VMware será essa! Com o vSphere 6.5 o limite de dispositivos por ESXi subiu de 256 para 512 (2x). E também o limite de paths de 1024 para 2000. Conheço vários casos em que esse limite foi atingido e isso gerava uma dor de cabeça imensa para os usuários, com o vSphere 6.5 será mais difícil chegar nesse limite, e se chegar, é porque está na hora de pensar em algo mais escalável e “moderno” como por exemplo vSAN ou vVOLs.

Outros posts sobre o que há de novo no vSphere 6.5:

Nenhum comentário:

Postar um comentário